Como ler:

Abertura


Cronologia da Crise:

anterior | próxima

150
10/10/2005

Mais informações sobre o relacionamento entre a direção nacional do PT, o empresário Marcos Valério e os bancos Rural e BMG. O PT e Valério rolaram 30 vezes as operações de crédito feitas junto àquelas instituições financeiras. Ao longo de dois anos, os empréstimos não pagos alcançam R$ 100 milhões. Durante o período, foram efetuadas apenas quatro amortizações, num total de R$ 3,6 milhões. Equivalem a cerca de 5% da dívida original, apontada em R$ 63 milhões, em valores corrigidos.

De acordo com o deputado Gustavo Fruet (PSDB-PR), sub-relator de movimentação financeira da CPI dos Correios, os bancos Rural e BMG mantiveram a política de autorizar a liberação de recursos, mesmo sem a quitação das dívidas anteriores. O deputado aponta o ocorrido em 14 de julho de 2004. Em 24 horas, o BMG rolou empréstimos não pagos pelo PT e por Valério, no valor de R$ 18,1 milhões, e concedeu um novo crédito para a agência SMPB, no valor de R$ 3,5 milhões. Este empréstimo tampouco foi pago. Alguns meses depois, acabou rolado como os outros. Diz Fruet:

– É estranho negociar sempre, sem nada receber. É o tipo de empréstimo contraído para não ser cobrado.

Ligações perigosas. A quebra de sigilos telefônicos revela os caminhos do tráfico de influência nos subterrâneos de Brasília. A CPI dos Correios divulga dados de Silvio Pereira, o ex-secretário-geral do PT que nunca ocupou cargo no governo Lula. Ele fez 670 ligações para números telefônicos da presidência da República. E conversou freqüentemente com diretores de empresas estatais como Correios, IRB, Furnas, Infraero e Eletronorte, além de Marcos Valério e funcionários das agências dele.

Silvinho recebeu 15 ligações do empresário Armênio Mendes, dono de casas de bingo em Santos (SP). Chamam a atenção, ainda, as 113 ligações telefônicas entre o ex-secretário-geral do PT e grandes construtoras – 65 dessas conversas com a OAS e 28 com a Odebrecht. Também discou para o Dnit (Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes). E, por fim, foram identificadas 127 ligações entre Silvinho e Fernando Moura, tido como lobista e velho amigo do ex-ministro José Dirceu (PT-SP).

A quebra de sigilos telefônicos detectou ligações entre o então tesoureiro Delúbio Soares e André Gustavo Vieira, dono da agência de publicidade Arcos, vencedora de um contrato com o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social). Delúbio também manteve 60 contatos telefônicos com empresas do Grupo TBA, que detêm contratos de informática com os Correios, Caixa Econômica Federal e Eletronorte.

O deputado João Magno (PT-MG), por sua vez, um dos mensaleiros com risco de ter o mandato cassado por receber dinheiro de caixa 2, trocou 67 ligações com Valério e o sócio dele, Cristiano de Mello Paz.

A Câmara dos Deputados concede aposentadoria de R$ 8.882,91 mensais ao ex-deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ), menos de um mês após a sua cassação. Na esteira do escândalo do mensalão, já obtiveram aposentadorias o ex-deputado Valdemar Costa Neto (PL-SP), que renunciou ao mandato, e o ex-presidente nacional do PT, José Genoino (SP). O primeiro recebe R$ 5.542,00 mensais e o segundo, R$ 8.148,79.

anterior | próxima | início