Como ler:

Abertura


Cronologia da Crise:

anterior | próxima

205
4/12/2005

O caso Coteminas. O jornal Folha de S.Paulo traz informações segundo as quais o Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras, ligado ao Ministério da Fazenda) identificou um depósito de R$ 1 milhão, em dinheiro, em nome do PT, na conta bancária da Coteminas (Companhia de Tecidos Norte de Minas), cujo dono é o vice-presidente da República, José Alencar (PL-MG).

A operação não apareceu na quebra de sigilo bancário das 16 contas do PT, existentes em seis bancos. Suspeita-se de caixa 2. O PT contraíra uma dívida de R$ 12 milhões junto à Coteminas, pelo fornecimento de 2,7 milhões de camisetas, distribuídas como brinde de campanha durante as eleições de 2004.

As repórteres Renata Lo Prete e Marta Salomon relatam que o PT ficara de pagar as despesas em três parcelas, até janeiro de 2005, mas não honrou nenhuma. O primeiro pagamento, esse R$ 1 milhão detectado pelo Coaf, só foi feito em 17 de maio. E também foi só.

O jornal entrevista Josué Gomes da Silva, filho do vice de Lula e presidente da Coteminas. Ele afirma ter recebido o dinheiro em “cash”, trazido por uma senhora:

– Era dinheiro do PT. Eu não tinha por que pensar diferente.

O novo tesoureiro do PT, Paulo Ferreira, diz que a operação não foi contabilizada pelo partido:

– Não há nada dessa natureza registrado. Nenhum pagamento de R$ 1 milhão à Coteminas.

anterior | próxima | início