Como ler:

Abertura


Cronologia da Crise:

anterior | próxima

244
12/01/2006

A CPI dos Correios descobre 25 pagamentos mensais, ao longo de dois anos, ao deputado João Herrmann Neto (PDT-SP). Ele é ligado à base de apoio do governo Lula. No total, as transferências ao parlamentar somaram R$ 79 mil, sempre por meio de depósitos bancários. Os primeiros pagamentos, a partir de março de 2003, foram de R$ 3.000,00. O mensalinho mereceu correção para R$ 3.800,00, e perdurou até o segundo trimestre de 2005, pouco antes de estourar o escândalo do mensalão. Procurado pela imprensa, Herrmann Neto prefere não se manifestar. Ele foi contra a criação da CPI dos Correios. Disse, na época:

– A CPI é uma ferida maltratada, uma porta de entrada para infecções.

A comissão chegou a Herrmann Neto a partir da quebra do sigilo bancário da empresa de aviação Beta (Brazilian Express Transportes Aéreos), investigada por ligações com a Skymaster Airlines. Ambas são suspeitas de superfaturamento de até R$ 64 milhões em contratos com os Correios. Antonio Augusto Leite Filho, um dos donos da Beta até 2002, doou R$ 800 mil à campanha de Lula, por meio de outras empresas.

anterior | próxima | início