Como ler:

Abertura


Cronologia da Crise:

anterior | próxima

296
5/03/2006

O jornal Correio Braziliense reproduz trechos de uma conversa gravada. O ex-motorista do senador Romero Jucá (PMDB-RR), Roberto Jefferson Marques, admite que fez um saque de R$ 50 mil na agência do Banco Rural do Brasília Shopping. Marques comenta sua ida ao banco:

– Eu só cheguei lá e disse: “Meu nome é Roberto Jefferson Marques”. Aí, o cara falou: “Ah, tudo bem”. Só isso. E me entregou um envelope amarelo, grampeado em cima. Não abri, não fiz nada.

De acordo com a gravação, o motorista, cujo apelido é Xuxa, recebeu determinação do senador, ex-ministro da Previdência Social do governo Lula, para fazer a retirada no Banco Rural. O dinheiro deveria ser entregue a um homem identificado como Magela. Foi o que Marques fez.

A reportagem de Luciene Soares, Rodrigo Lopes e Marcelo Rocha conta que Marques ficou assustado com a eclosão do escândalo do mensalão. Jucá tratou de desligá-lo do gabinete em Brasília e levá-lo a viajar. Ele foi a Belém, onde passou mais de um mês. Sem trabalho, voltou a procurar Jucá. Sem sucesso. O Correio Braziliense relata:

“A fita cassete em que Roberto Marques faz as revelações foi gravada no final de outubro de 2005, durante uma conversa no interior de um veículo. O interlocutor de Marques, que fez a gravação, prefere não se identificar. Marques estava desempregado. Depois que tomou conhecimento do que dizia seu ex-motorista, o senador voltou a empregá-lo. Hoje, ele trabalha na Prefeitura de Boa Vista, cuja titular é Tereza Jucá, mulher de Romero Jucá. Agora, Marques nega ter feito saques a pedido do senador. Afirma desconhecer qualquer coisa relacionada ao assunto.”

anterior | próxima | início