Como ler:

Abertura


Cronologia da Crise:

anterior | próxima

343
21/04/2006

O jornal Folha de S.Paulo publica reportagem para mostrar que o cassado José Dirceu continua atuante. Cita conversas do ex-deputado com Lula e integrantes do primeiro escalão do governo federal, como o ministro Tarso Genro (PT-RS). A reportagem de Malu Delgado e Catia Seabra afirma:

“Relatos de petistas, de ministros e de parlamentares dão conta de que, nos bastidores, Dirceu executa ações políticas nos Estados para favorecer o projeto de reeleição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, conversa com parlamentares, orienta petistas, traça estratégias sobre a ofensiva petista nas CPIs, participa de almoços e jantares com políticos e empresários.”

O jornal O Estado de S. Paulo publica matéria sobre as andanças do deputado cassado. No fim de março reuniu-se no mesmo dia com 20 deputados federais e três ministros de Lula, num hotel em Brasília. Era necessário marcar hora para falar com o líder do mensalão. A fila que se formou, aliás, lembrou aquelas que tantas vezes ocorreram para a entrega dos repasses de dinheiro providenciados por Marcos Valério e Delúbio Soares.

Um dos temas tratados na série de encontros com Dirceu foi a sucessão ao governo de Pernambuco. A reportagem assinada por Vera Rosa e Wilson Tosta conta que, divulgada a conclusão dos trabalhos do procurador-geral da República e a denúncia contra Dirceu, acusado de ser o chefe da quadrilha do mensalão, a primeira coisa que o ex-ministro fez foi procurar Lula. Os dois conversaram. Da reportagem:

“José Dirceu não parou de falar com Lula nem de fazer articulações políticas.”

Se Dirceu mantém relacionamento com Lula depois de tudo o que aconteceu, o mínimo a se dizer é que presidente não se sentiu traído como alegou algumas vezes. Nem poderia. Dirceu foi apenas o responsável pela operação do mensalão, esquema liderado por Lula. O presidente foi, desde o princípio, o chefe de tudo.

anterior | próxima | início