Como ler:

Abertura


Cronologia da Crise:

anterior | próxima

349
27/04/2006

Mais constrangimentos para Lula. Agora, na posse da ministra Ellen Gracie Northfleet na presidência do STF (Supremo Tribunal Federal). O procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, e o presidente da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), Roberto Busato, discursam ao lado de Lula. Diz Souza:

– A possibilidade de responsabilização dos agentes políticos e públicos por desvios na atividade pública há de ser assegurada como conseqüência do próprio Estado de Direito. Não há autoridade dotada de poderes ilimitados, nem imune à devida fiscalização, controle e responsabilização.

Do presidente da OAB:

– A absolvição pelo plenário da Câmara dos Deputados de parlamentares condenados por corrupção pelo Conselho de Ética da própria Câmara soa à população brasileira como desprezo, escárnio à Justiça. A pergunta que ecoa da voz das ruas é uma só: perdemos a compostura?

A Polícia Civil de São Paulo indicia Antonio Palocci (PT-SP) por formação de quadrilha, lavagem de dinheiro, peculato e falsidade ideológica. Os crimes estão vinculados a denúncias de fraudes em contratos de limpeza pública em Ribeirão Preto (SP), na época em que Palocci foi prefeito da cidade.

Durante depoimento prestado em Brasília, o ex-ministro afirma que, se houve irregularidades, a responsabilidade é do Daerp (Departamento de Água e Esgoto de Ribeirão Preto). O Ministério Público não aceita. Declaração do promotor Daniel de Angelis:

– Uma organização que dá um prejuízo de R$ 30 milhões em quatro anos não passaria despercebida pelo prefeito.

O juiz da 13ª Vara da Fazenda Pública de São Paulo, Edson Ferreira da Silva, determina a quebra dos sigilos bancário, fiscal e financeiro do IFF (Instituto Florestan Fernandes), Instituto Sampa.Org e outras sete empresas suspeitas de ligações com o PT e supostamente beneficiadas por desvios de R$ 4,7 milhões, na gestão da ex-prefeita Marta Suplicy (PT) em São Paulo, de 2001 a 2004.

De acordo com a denúncia do Ministério Público, a administração paulistana adotou a prática de contratar sem licitação institutos e organizações ligadas ao PT. Há indícios de contratações por triangulação: a Prefeitura contratava fundações que, por sua vez, subcontratavam os institutos, empresas e consultores ligados ao PT.

Entre os fundadores do IFF em 1999, Marta Suplicy e José Dirceu. Durante a administração da ex-prefeita, fizeram parte dos conselhos do IFF notórios integrantes do PT, como Rui Falcão, Valdemir Garreta, Jilmar Tatto, Aldaíza Sposati, Paulo Teixeira e Mônica Valente, a mulher do ex-tesoureiro Delúbio Soares. Todos exerceram cargos no primeiro escalão da ex-prefeita.

Declaração do jornalista Florestan Fernandes Júnior, ao justificar um pedido para que o IFF mude de nome:

– Minha família não quer mais ver o nome de meu pai vinculado ao instituto. Pelos valores éticos que ele sempre defendeu, não merece tudo isso.

anterior | próxima | início