Como ler:

Abertura


Cronologia da Crise:

anterior | próxima

352
30/04/2006

Levantamento do governo dos Estados Unidos sobre movimentações financeiras do publicitário Duda Mendonça. Os dados foram encaminhados para as investigações no Brasil. Está na Folha de S.Paulo. As operações ocorreram em junho e julho de 2003, no início do governo Lula. Somam US$ 1,6 milhão.

O dinheiro saiu da empresa offshore Dusseldorf, a mesma que foi usada por Duda para receber dinheiro de caixa 2, por serviços prestados na campanha eleitoral de 2002. Numa das movimentações, US$ 875 mil seguiram para a Pirulito Company, ligada a Eduardo de Matos Freiha, sócio de Duda. A empresa fica em Nassau, capital do paraíso fiscal das Bahamas, onde está localizada a Dusseldorf. A conta bancária foi aberta 15 dias antes da remessa, no BankBoston de Miami.

A Dusseldorf também fez operações no BankBoston de Miami. De lá saíram US$ 500 mil para a conta da Stuttgart Company, aberta dois meses antes, e US$ 218 mil para a Raspberry Company. O dinheiro continuou a circular. A maior parte foi para as offshores Ágata e Maximus, cujo controle é atribuído a doleiros que movimentaram milhões de dólares por meio de um banco suspeito de lavar dinheiro, o MTB de Nova York.

anterior | próxima | início