Como ler:

Abertura


Cronologia da Crise:

anterior | próxima

376
24/05/2006

A Câmara absolve o 11º acusado de envolvimento no escândalo do mensalão. Livra-se da cassação o deputado Vadão Gomes (PP-SP). Em votação secreta, Vadão recebe 243 votos em sua defesa, contra 161 a favor da perda do mandato. Há 16 abstenções, quatro votos em branco e um nulo. Vadão foi acusado de receber R$ 3,7 milhões do caixa 2 do PT. O Conselho de Ética aprovou parecer, inocentando-o. O autor foi o deputado Eduardo Valverde (PT-RO). Diz Valverde:

– Seria fácil seguir o consenso de grande parte dos meios de comunicação, me aproveitar disso e crucificar mais um. Mas assumi a responsabilidade de remar contra a maré. Sei que amanhã parte da imprensa estampará que foi absolvido mais um mensaleiro.

Vadão teria recebido os R$ 3,7 milhões de Marcos Valério em dois pagamentos, feitos em hotéis de São Paulo. Delúbio Soares confirmou a história. Há registro de telefonemas entre Vadão, Valério e Delúbio, alguns dias antes do repasse. Do deputado João Fontes (PDT-SE):

– Não podíamos ter a esperança de cassação de Vadão Gomes numa Câmara contaminada por mensaleiros e sanguessugas.

O Congresso desiste de investigar a “máfia dos sanguessugas”. Transfere a responsabilidade para a Procuradoria-Geral da República. Fica sem efeito a sindicância aberta na Câmara para apurar a suposta participação de 16 deputados no esquema de venda de ambulâncias superfaturadas, compradas para prefeituras de todo o país. Os presidentes do Senado e da Câmara, os governistas Renan Calheiros (PMDB-AL) e Aldo Rebelo (PC do B-SP), foram pressionados a não investigar o envolvimento de parlamentares. O procurador-geral solicita ao STF (Supremo Tribunal Federal) a abertura de inquéritos criminais contra 15 parlamentares. Os nomes dos investigados não são divulgados.

anterior | próxima | início