Como ler:

Abertura


Cronologia da Crise:

anterior | próxima

377
25/05/2006

A Folha de S.Paulo revela novos detalhes do depoimento prestado pelo ex-secretário de Habitação de Mauá (SP) ao Ministério Público, em 9 de fevereiro de 2006. Altivo Ovando Júnior também implicou Lula no esquema de arrecadação de propina do PT. Altivo foi secretário do ex-prefeito Oswaldo Dias (PT), de 1997 a 2000. Os fatos narrados por ele agora teriam ocorrido durante a campanha eleitoral para a presidência da República, em 1998. Lula era candidato. Queria dinheiro para financiar a sua eleição. Do depoimento de Altivo:

“O declarante se recorda de que, no pleito de 1998, o presidente Lula compareceu no gabinete do prefeito de Mauá, oportunidade em que, utilizando termos chulos, cobrou de Oswaldo Dias maior arrecadação de propina em favor do PT.”

Uma fotografia de Lula ao lado de Oswaldo Dias e do ex-prefeito Celso Daniel (PT), feita no ano 2000, ilustra a matéria. Em seu depoimento, Altivo reproduziu frase que atribui a Lula:

“Ele dizia: ‘Pô, Oswaldão, tem que arrecadar mais, faz que nem o Celso Daniel em Santo André. Você quer que a gente ganhe a eleição como?”

A juíza da 2ª Vara Criminal de Santo André (SP), Aparecida Angélica Nagao, acolhe denúncia do Ministério Público contra ex-auxiliares do ex-prefeito Celso Daniel (PT). A decisão atinge Sérgio Gomes da Silva, o Sombra, o ex-secretário e ex-vereador Klinger Luiz de Oliveira (PT), o empresário Ronan Maria Pinto e mais dez pessoas, a maioria funcionários municipais. Todos são acusados de fraude em 23 licitações que somam R$ 17,1 milhões. O esquema teria favorecido a construtora Projeção, controlada por Ronan.

anterior | próxima | início